Voluntariado: como aproveitar ao máximo

Atualizado: 6 de nov. de 2021

Pessoas em todo o mundo se engajam em ações de voluntariado, por uma grande variedade de razões: ajudar eliminar a pobreza, garantir educação básica e de saúde, superar questões de desenvolvimento, reduzir os riscos de desastre e combater a exclusão social.

Conhecer novas realidades, ter experiências de vida distintas do que você já vivenciou, contribuir para a transformação social e o bem-estar do próximo e, ainda, somar capacidades que farão a diferença na sua vida profissional. O trabalho voluntário agrega tudo isso à sua formação.

Vivemos numa sociedade diversa e ainda marcada por profundas desigualdades. O voluntariado possibilita que os envolvidos transformem sua leitura do mundo. Não é à-toa que mais de 1 bilhão de pessoas, segundo a ONU, se engajam em ações voluntárias em todo o mundo.

O voluntariado é um ótimo caminho para você testar os seus limites e, mais do que isso, sair deles. Ter contato com a diversidade e ter a oportunidade de enriquecê-la e ser por ela transformado. O Brasil é um país marcado por realidades diversas. E o voluntariado é uma forma de ter contato com realidades para além daquelas em que você foi socializado.

O voluntariado é uma possibilidade de contribuir com aquilo que se sabe fazer, mas também um convite para aprender a fazer algo de novo que seja, num determinado momento, fundamental para a qualidade de vida ou para trazer conforto à alguém ou a um grupo de pessoas que necessita de atenção.

Não há satisfação maior do que saber que um gesto ou uma soma de ações por você realizada foi capaz de mudar a vida de alguém. Isso é um ganho para você e para o beneficiário da sua ação.

Num mundo em que a solidariedade é cada vez mais difícil de ser encontrada, você fará uma grande diferença na vida de muitas pessoas, com consequências que poderão ser lembradas por muitos e muitos anos.

O voluntariado pode ser lido como uma chave importante na escolha de profissionais pelas empresas. O voluntariado é indício de flexibilidade, pró-atividade, e capacidade de trabalho em equipe.

O voluntário é alguém que enfrentou desafios fora da sua zona de conforto e soube colocar novas ideias em prática. De acordo com um estudo de 2013, feito pela Delloite, empresa especializada em consultorias, 80% dos diretores de recursos humanos consideram como significativas as experiências de voluntariado como requisito para contratação de um novo funcionário.

Mas atenção! Não faça voluntariado somente para ganhar emprego novo. Sair por aí participando de experiências isoladas de voluntariado não demonstra compromisso e seriedade. É preciso que a sua experiência de voluntariado seja robusta e equilibrada, apontando para uma trajetória. Forçar-se a fazer algo somente para aparecer com o perfil de voluntário pode ser um tiro a sair pela culatra.

O voluntariado ainda pode ser um bom caminho, para quem não consegue emprego, ter contato com outras pessoas, estabelecer redes que podem fomentar o encontro de um futuro emprego. O voluntariado, para o desempregado, é ainda um caminho de apontar para os seus futuros chefes, que você não passou o tempo sem emprego sentado em frente à TV, mas contribuindo para ações transformadoras, que exercitaram sua mente e lhe trouxeram aprendizado.

Olhando para todos esses fatores, na hora da seleção, diante de dois profissionais com perfis parecidos, a escolha da empresa, certamente, será pela pessoa que passou por uma experiência de voluntariado. E por seus benefícios, há, inclusive, empresas que estimulam a existência de programas de voluntariado no interior das suas unidades e nas comunidades dos seus entornos.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo